Aumento de Panturrilha: o que é, como é feito e qual a indicação

Aumento de Panturrilha

Ter uma panturrilha definida é algo que agrada muitas pessoas, principalmente quem busca um corpo mais definido. Quem pratica musculação para hipertrofia sabe o quão difícil é aumentar o volume nesta região, e a principal razão para isso é puramente biológica: o tipo de fibra que compõe os músculos da batata da perna não ajudam nesse crescimento em algumas pessoas.

O sóleo e o gastrocnêmio são músculos que utilizam basicamente o oxigênio como fonte energética e possuem grande resistência à fadiga, consequentemente, possuem menor capacidade hipertrófica, se comparados com as fibras de contração rápida.

Só esta explicação já justifica o aumento na procura pelo procedimento por pessoas que desejam aumentar o volume da região, principalmente quem tem deficiência de volume nas porções médias.

O que é o aumento de panturrilha?

A cirurgia para aumento da panturrilha consiste na colocação de próteses de silicone, que podem cumprir objetivos estéticos ou reparadores. Sua finalidade é aumentar, dar firmeza e modelar essa área das pernas, dando uma aparência natural. Outras indicações são para correções das deformidades adquiridas na região – como sequela de poliomielite e de acidentes – e congênitas – como doenças que apresentam atrofia dos músculos das pernas.

Como é feito o procedimento?

Quem deseja aumentar o tamanho da panturrilha, pode realizar uma consulta de avaliação com o cirurgião plástico para verificar qual modelo de prótese é mais indicado para sua estrutura física, entre outras questões, para que a cirurgia possa ser feita.

No momento do procedimento, o cirurgião pode optar por colocar os implantes abaixo da fáscia do músculo gastrocnêmio – conhecido como “batata da perna” – ou entre os gastrocnêmios e os músculos sóleos, através de uma incisão dem 4cm em um sulco natural da fossa poplítea (face posterior dos joelhos), sendo utilizada a videoendoscopia para a realização da operação.

Como é o pós-operatório?

Este tipo de cirurgia plástica não exige anestesia geral, sendo mais comum a utilização de peridural com sedação assistida. A cicatriz fica bem pouco visível após 8 meses e é possível voltar às atividades normais de 7 a 15 dias após a operação, mesmo que ainda com restrições.

A(o) paciente pode sentir algum tipo de dor e desconforto, mas o uso de analgésicos comuns já resolve esta questão. Além disso, é fundamental o uso de meias compressivas de forma ininterrupta, já que elas têm como função modelar as pernas recém operadas. O uso das meias é fundamental para acolchoar a pele dolorida enquanto realiza uma leve compressão sobre a pele descolada.

Quem deseja aumentar a panturrilha em Curitiba, pode contar com o Dr. Pablo Huber e sua equipe. Agende sua consulta e tire suas dúvidas!