Cirurgia Reparadora: o que é e quem pode fazer?

Cirurgia reparadora

A Cirurgia Reparadora é denominada como um procedimento que visa reparar ou reconstruir alguma parte do corpo que foi afetada por algum motivo. Nesses casos, a insatisfação do paciente com áreas do seu corpo ou a mudança corporal por ação do tempo são deixadas em segundo plano, mesmo que existam. 

Para entender melhor, separamos aqui as diferenças conceituais entre a cirurgia plástica e a cirurgia reparadora. Na primeira, também conhecida na literatura médica como embelezadora, há sempre o fator meramente embelezador e que busca o aperfeiçoamento físico do indivíduo. Sendo que, normalmente, é realizada quando paciente não padece de qualquer mal físico. Em contrapartida, a cirurgia reparadora tem como objetivo a correção de defeitos congênitos ou adquiridos, como, por exemplo, queimaduras, cicatrizes, crianças que nasceram com fissura lábio-palatal.

Dessa forma, fatores como doença ou acidentes são um dos principais motivos que levam as pessoas a procurarem uma cirurgia reparadora. Apesar dos limites entre o estético e o reconstrutor serem tênues, é consenso que apesar disso, nos casos de reparação há sempre o fator funcional como peso maior para a decisão de realização do procedimento cirúrgico.

Quem pode se beneficiar da cirurgia reparadora

Dados do último censo realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) apontam que as cirurgias reparadoras têm ganho maior visibilidade atualmente. Encabeçando os tipos de cirurgias feitas, a de reconstrução mamária representa o maior percentual de procuras (10%). Só para se ter uma ideia, em 2009, apenas 3% das cirurgias reparadoras era com este fim.

No caso das cicatrizes, um dos principais motivos para a procura de uma cirurgia plástica está no fato dela limitar alguma parte do corpo devido a sua retração. Assim, o cirurgião irá trabalhar para que a função daquela região – seja joelhos, cotovelos, mãos, entre outros – bem como a melhora da aparência tornando-a menos aparente. Outro caso em que a cirurgia reparadora é de extrema importância são os casos de pessoas queimadas. Dependendo do caso clínico apresentado pelo paciente, a reconstrução subcutânea em tempo hábil pode significar a vida do indivíduo, que pode vir a falecer por perda de líquido e transpiração na área queimada.

Procurar um cirurgião plástico capacitado para esse tipo de cirurgia é muito importante, pois o sucesso da reconstrução depende também da experiência que ele possui no atendimento de pessoas com esse tipo de problema. Quanto maior o aprimoramento das técnicas e a capacitação do profissional, melhores são as chances de uma reconstrução satisfatória. Converse sempre com seu médico e busque informações com relação a sua experiência em cirurgias reparadoras.