FLANCOPLASTIA

Os flancos, juntamente com as regiões abdominal, sacra e as nádegas, compõe o quadril. Ao longo da vida, essas regiões apresentam nítidas alterações morfológicas com efeitos antiestéticos, alterações essas associadas a fatores genéticos, idade, peso corporal e alterações de peso, sedentarismo e alimentação, entre outras.

A alteração visível com maior frequência na região é o acúmulo localizado de gordura sem flacidez, causando um abaulamento, o chamado “pneu”, o qual é tratado com Lipoaspiração da região. Algumas pessoas, no entanto, apresentam flacidez dos flancos de maior ou menor grau, associada ou não a depósito de gordura na região, flacidez que não pode ser resolvida apenas com Lipoaspiração, pois há pele em excesso na região também.

Algumas pacientes que tenham se submetido a Abdominoplastia (cirurgia plástica do abdome) pregressa também se queixam de ter ficado com os flancos abaulados depois da cirurgia. Na realidade, eles sempre foram proeminentes, porém “camuflados” pelo abdome volumoso. Pacientes com essa condição, quando vestem um traje de banho ou roupa justa, torna-se visível e antiestética uma dobra de pele de cada lado do tronco. É um problema comum dos 40 anos de idade para mais ou mesmo mais precocemente em pessoas que tenham passado por contínuas variações de peso corporal.

A Flancoplastia é uma operação realizada para eliminar o excesso de tecido gorduroso e flacidez de pele na parte látero-inferior do abdome, dos flancos e se indicado, da região lombo-sacra também. Por outro lado, ocorre constante equívoco por parte das pacientes, que pedem a eliminação da dobra de pele (flacidez) mediante apenas Lipoaspiração.

Na mesma operação, dependendo da extensão, também pode ser feita a correção (elevação) dos glúteos (nádegas) e face lateral das coxas, se houver ptose (queda) nessas regiões.

Em princípio, a Flancoplastia quando indicada é realizada em conjunto com Lipoaspiração da região e Abdominoplastia.

Anestesia

Geralmente emprega-se a anestesia peridural com sedação, salvo em casos a serem analisados individualmente, onde se torna necessária a anestesia geral. Há possibilidade de que a escolha seja feita pela paciente, todavia com prévia ponderação de sua conveniência com a equipe cirúrgica e anestésica

Operação

Dura em média 2 a 3 horas, podendo variar para mais ou menos dependendo do caso.

Associação com Lipoaspiração, Abdominoplastia e outros procedimentos

A gordura localizada em áreas vizinhas dos flancos poderá ser corrigida acrescentando-se um procedimento de Lipoaspiração, melhorando assim o resultado global. É possível ainda utilizar a gordura da Lipoaspiração para aumentar e melhorar o contorno dos glúteos, pois frequentemente as pacientes apresentam flacidez e deficiência de volume nesta região.

Comumente pacientes com flacidez nos flancos apresentam flacidez abdominal associada, sendo comum a associação da Flancoplastia e Abdominoplastia.

Também, em casos de flacidez nas coxas, a Coxoplastia ou Lift de coxas pode ser associado.

Localização da cicatriz da operação

As cicatrizes continuam lateralmente da cicatriz de Abdominoplastia prévia ou simultânea e podem localizar-se de 2 maneiras, dependendo do grau e localização da flacidez:

  1. Da espinha ilíaca ântero-superior até a espinha ilíaca póstero-superior (as vezes não alcançando-a), situada 2 a 4 cm abaixo da projeção cutânea da borda superior da crista ilíaca (osso do quadril);
  2. Se une com a do lado oposto em direção inferior e posterior, junto à região sacrococcígea (a cicatriz é circunferencial).

A cicatriz é planejada para ficar oculta sob uma roupa de banho tipo biquíni.

 

Período de internação

O período normal de internação é de 1 dia.

Normalmente a operação é pouco dolorosa, sendo essas dores facilmente combatidas com analgésicos comuns.

Período de Recuperação

É variável de pessoa para pessoa, mas em média, gira em torno de 20 a 30 dias. A partir daí a paciente começa a ter condições para trabalhar, ainda que com restrições.

 Uso de cinta

O uso da cinta, em caso de Flancoplastia, é ininterrupto, já que tem como função moldar o corpo recém esculpido, principalmente se for associada uma lipoaspiração. Por favorecer a aderência da pele, nos primeiros 03 dias ela não deve ser retirada. A cinta é composta por uma camada de algodão que tem por finalidade acolchoar a pele dolorida enquanto realiza leve compressão sobre a pele descolada. Deverá ser usada por pelo menos 2 meses após a cirurgia.

Retirada dos pontos

Em média, do 7º ao 21º dia.

Banho completo

Geralmente depois de decorridos 2 ou 3 dias da cirurgia. Contudo, alguns casos poderão necessitar cuidados especiais sobre a área operada, sendo então recomendado evitar o umedecimento do local por 7 dias. Aconselhável acompanhante.

Retorno às atividades esportivas

Pacientes submetidas a Flancoplastia podem retornar às atividades esportivas depois de decorridos 60 dias da operação. Exercícios mais leves (como caminhadas) poderão ser iniciados depois de decorridos 30 dias.