GINECOMASTIA

Ginecomastia é uma condição na qual ocorre um desenvolvimento excessivo de mamas em homens, uni ou bilateralmente, ou seja, o desenvolvimento de um padrão feminino de mamas em homens. Causa grave prejuízo psicológico nos pacientes acometidos, visto que os portadores quase sempre evitam atividades familiares ou com amigos nas quais terão que ficar com o tronco despido.

Existem 4 padrões de ginecomastia:

  1. Glandular: quando há o aumento da glândula mamária, é tratado com a retirada parcial da glândula mamária através de incisão cirúrgica;
  2. Adiposa: quando há um acúmulo localizado anormal de gordura na região das mamas, é tratado com Lipoaspiração das mamas;
  3. Mista: uma combinação das duas anteriores, tratado com Lipoaspiração seguida de retirada parcial da glândula mamária;
  4. Ptose (queda) mamária: qualquer um dos 3 anteriores associado a flacidez de grau variável das mamas., tratado com os procedimentos acima citados associado a retirada de pele em maior ou menor grau das mamas;

Em sua maioria, o padrão glandular é causado por fatores fisiológicos, através de um “desbalanço” entre os hormônios feminino (o qual existe normalmente em certas quantidades nos homens também) e masculino. Isso ocorre fisiologicamente em certas fases da vida, como ao nascimento, na adolescência e na senilidade. Dentre os adolescentes com ginecomastia glandular, a maioria terá regressão espontânea da condição, devendo ser operados apenas os adolescentes que persistirem com o problema após os 18 anos.

Além de ter causa fisiológica, o padrão glandular também pode ocorrer como consequência de uma variedade de condições patológicas, as quais tem de ser pesquisadas e excluídas pelo cirurgião antes da operação.

O padrão adiposo tem causa multifatorial, entre elas a genética, a alimentação inadequada e a falta de atividade física.

A ginecomastia de qualquer padrão pode também estar associada à ptose mamária (queda das mamas), com diferentes graus de flacidez nas mesmas. Para corrigir a ptose mamária se acrescenta à operação inicial uma Mastopexia (elevação das mamas).

Anestesia

Normalmente é utilizada a anestesia local com sedação assistida. Em casos especiais, e a critério do cirurgião e anestesista, pode-se empregar anestesia geral ou peridural com sedação assistida. Há possibilidade de que a escolha seja feita pelo paciente, todavia com prévia ponderação de sua conveniência com a equipe cirúrgica e anestésica

Operação

O tempo médio de duração da operação é de 120 minutos, podendo variar para mais ou para menos dependendo do caso.

Associação com Lipoaspiração e Lipoenxertia

Para pacientes que além da ginecomastia apresentam acúmulo de gordura no tórax, a gordura localizada em áreas vizinhas poderá ser corrigida acrescentando-se um procedimento de Lipoaspiração. A gordura lipoaspirada, tanto das regiões vizinhas quanto de regiões distantes do tórax, após preparo específico e conforme indicação, poderá ser enxertada nos músculos peitorais, para um melhor definição e contorno da região torácica.

Comumente na região torácica é realizada a Lipoaspiração de alta definição ou “Lipo HD”, para se atingir um contorno mais delineado da região torácica.

Posição e tipo das cicatrizes

As cicatrizes podem localizar-se de 4 maneiras, dependendo da preferência do paciente, do padrão da ginecomastia e da presença ou não de ptose associada:

  1. Nos casos de ginecomastia adiposa, a qual é corrigida apenas com lipoaspiração são feitas 2 pequenas incisões (em torno de 5 mm) em cada lado, geralmente em uma prega natural no sulco infra-mamário e na região axilar anterior. Poder ser feita uma terceira incisão do mesmo tamanho das anteriores em algum local ao redor da aréola, na transição entre a pele da aréola e a pele normal;
  2. Nos casos de ginecomastia glandular ou mista, a cicatriz pode localizar-se ao redor da aréola em sua metade inferior, na transição entre a pele da aréola e a torácica. Se for mista acrescenta-se também as incisões para Lipoaspiração conforme mencionado no item a;
  3. Nos casos de ptose mamária leve a moderada, a cicatriz localiza-se ao redor de toda extensão da aréola, na transição da pele da aréola e da pele torácica. Se o paciente desejar pode ser reduzido o diâmetro da aréola também. Se for mista acrescenta-se também as incisões para Lipoaspiração conforme mencionado no item a;
  4. Nos casos de ptose mamária acentuada, além da cicatriz ao redor da aréola, acrescenta-se cicatriz horizontal de extensão variável no sulco infra-mamário.

Período de internação

No caso de anestesia local com sedação assistida não há necessidade de internação hospitalar. No caso de anestesia peridural ou geral o paciente deverá ficar internado cerca de 12 a 24 horas.

Normalmente a operação é pouco dolorosa, sendo essas dores facilmente combatidas com analgésicos comuns.

Tamanho, consistência e forma

 Com a cirurgia, não só as mamas têm seu volume reduzido, como podem ser melhoradas a sua consistência e forma.

 Período de Recuperação

É variável de pessoa para pessoa, mas em média, gira em torno de 7 a 15 dias. A partir daí o paciente começa a ter condições para trabalhar, ainda que com restrições.

Uso de colete modelador

O uso do colete modelador, em caso de Correção de Ginecomastia, é ininterrupto, já que tem como função moldar e conter as mamas recém operadas. Deverá ser usado por pelo menos 2 meses após a cirurgia. 

Retirada dos pontos

Em média, do 7º ao 14º dia.

Banho completo

Geralmente após decorridos 2 dias, porém tomando-se cuidado para não molhar o curativo e com acompanhante.

Retorno às atividades esportivas

 Pacientes submetidos a Correção de Ginecomastia podem retornar às atividades esportivas depois de decorridos 30 dias da operação, porém só estarão liberados para exercícios que utilizem os membros superiores ou músculos peitorais após 90 dias.